Quais vantagens o e-commerce oferece ao comércio varejista?
Menu do Site
Copyright MicroUniverso 2017
Quais vantagens o e-commerce oferece ao comércio varejista?
1366
post-template-default,single,single-post,postid-1366,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,side_menu_slide_from_right,footer_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive
 

Quais vantagens o e-commerce oferece ao comércio varejista?

Quais vantagens o e-commerce oferece ao comércio varejista?

No Brasil, a exemplo do que vem sendo observado em grande parte dos países mais desenvolvidos, o e-commerce registra um crescimento vertiginoso — e as perspectivas indicam a continuidade desse cenário.

O intenso movimento em direção às vendas online, bem como o fortalecimento das estratégias para expandir os canais de comércio, evidencia a pertinência da operação.

Se você busca mais informações sobre o tema, encontrou o conteúdo perfeito! No post, acessará um panorama geral do e-commerce brasileiro e entenderá a melhor forma de aproveitá-lo. Também conhecerá as principais vantagens de investir na venda pela web.

Boa leitura e bom aprendizado!

O e-commerce no Brasil: os números do setor

Em 2017, segundo pesquisa Webshoppers realizada pela Ebit em parceria com a Elo, o faturamento do e-commerce ultrapassou a marca de R$ 47 bilhões — um aumento de 7,5% em relação ao ano anterior.

A atividade do comércio eletrônico, por sua vez, cresceu 12% em comparação a 2016. Para 2018, o Ebit projetou aumento semelhante, apontando igual avanço de 12% e estimando um faturamento de R$ 53,5 bilhões.

No varejo online, durante o primeiro semestre de 2016, a categoria que registrou o maior número de vendas foi a de Celulares e Smartphones, com 26% do total. Em seguida, a seção de Moda e Acessórios totalizou 19% para itens femininos e 15% para itens masculinos.

A tendência, portanto, é que o e-commerce continue forte e cresça com ainda mais vigor nos próximos anos. Alguns atributos que caracterizam essa modalidade de consumo, tais como comodidade e praticidade, são prioritários para um público que tem poder de compra e, claro, muitos desejos a serem atendidos.

O e-commerce para pequenos varejistas: motivos para investir

O varejo é um segmento altamente dinâmico e volátil. O comportamento do consumidor, que está em constante transformação, interfere diretamente nos resultados do segmento. Por isso, exige que as lideranças estejam sempre atentas às nuances do mercado.

A ascensão do e-commerce aprofundou essa necessidade. Em um mundo em que tudo acontece em tempo real, qualquer mudança pode (e deve) ser monitorada, uma vez que geralmente significa uma oportunidade ou uma ameaça às empresas varejistas.

Além disso, o comércio virtual teve outro impacto bastante expressivo: deslocou o eixo de alcance que antes era mais restrito e reservado apenas às grandes corporações ou aos maiores investimentos.

A internet democratizou o consumo e, da mesma forma, alargou a concorrência. Agora, é plenamente possível que um varejista pequeno, em estágio inicial de sua operação, compita com grandes marcas consolidadas e reconhecidas. Na web, ganha quem é mais ágil na tarefa de atrair, converter e fidelizar o consumidor.

Esse contexto, por si só, já proporciona um excelente motivo para que pequenos empresários — principalmente aqueles que desejam expandir o mercado em que atuam — vejam no e-commerce uma oportunidade única para alavancar o faturamento da empresa.

Para além disso, porém, existem outros ótimos motivos (e boas recompensas) que endossam e incentivam as vendas via comércio virtual. Veja alguns deles.

Custos menores em relação às lojas físicas

No Brasil, os custos para a manutenção de uma loja física são altíssimos. Além do aluguel (ou da compra do imóvel), há despesas recorrentes com a manutenção do local e com o pagamento de taxas relacionadas ao espaço.

No ambiente online, muito embora as regras de operação sejam semelhantes, os custos com a manutenção de um imóvel comercial são imediatamente suprimidos.

Na prática, não é mais preciso pensar nas importantes questões relacionadas à localização — se seu ponto é movimentado o suficiente, se o público a quem seu produto ou serviço se destina passa pela rua em que você está instalado — ou investir em design para que a loja continue atrativa aos consumidores.

Burocracia reduzida

A burocracia é, sem dúvida, um dos grandes impasses para os empreendedores brasileiros. De acordo com uma pesquisa divulgada pelo Sebrae, 6% dos que abriram um negócio tiveram muitas dificuldades burocráticas durante o primeiro ano de operação.

No caso das lojas virtuais, alguns recursos podem ajudar a reduzir o tempo gasto em atividades burocráticas. A assinatura eletrônica, por exemplo, elimina a necessidade de assinar inúmeros arquivos de forma manual.

A automatização de pagamentos, por sua vez, também é uma excelente maneira de facilitar a gestão da empresa e desburocratizar as operações. Com a integração eletrônica de aplicações contábeis e dos fluxos financeiros, o gestor ganha mais confiança para administrar os recursos do negócio e designar investimentos que podem impulsionar os retornos.

Agilidade na operação

A agilidade operacional é um dos mais evidentes ganhos da loja virtual em relação às lojas físicas. Em um ambiente online, é bastante comum (e necessário) que as áreas sejam integradas e tenham seus dados centralizados em uma única ferramenta, como o ERP.

Na prática, todo o fluxo de processos é executado com mais rapidez, valendo-se da tecnologia para garantir a segurança e a coerência das rotinas da empresa.

Principalmente no varejo, em que a velocidade dos acontecimentos e das subsequentes reações podem determinar o sucesso ou o fracasso de uma estratégia, é essencial que a operação seja extremamente ágil e assertiva.

As vantagens da visibilidade do e-commerce: a alternativa à loja física

Diante de tantas informações positivas, fica fácil compreender que o e-commerce é, sem dúvida, uma interessante alternativa para os varejistas — principalmente aqueles que ainda estão iniciando e fortalecendo suas operações.

Para encerrar a discussão do tópico, cabe evidenciar as principais vantagens da loja online em detrimento do espaço físico, quando se trata de visibilidade.

Como mencionado, uma loja física exige cautela redobrada para escolher o ponto de localização e, a depender da opção, os custos podem explodir. No caso do e-commerce, porém, essa preocupação é suavizada.

Por meio de estratégias digitais, é plenamente possível que pequenas marcas conquistem seu espaço na web, assegurando que o público-alvo tenha acesso aos produtos e serviços que oferecem.

A atualização das redes sociais corporativas, por exemplo, é importante para garantir a exposição da empresa em ambientes virtuais, fortalecendo a percepção da marca e, claro, potencializando a geração de negócios no e-commerce.

O conteúdo foi útil e despertou alguns insights valiosos para a sua operação? Excelente! Aproveite para entrar em contato conosco e entender como podemos ajudar a alavancar os resultados do seu negócio. Sucesso e até a próxima!