Menu do Site


Copyright
MicroUniverso 2020

O que é atacarejo? Entenda como funciona
2275
post-template-default,single,single-post,postid-2275,single-format-standard,bridge-core-2.2.4,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,side_menu_slide_from_right,footer_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-21.1,qode-theme-bridge,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.1,vc_responsive
 

O que é atacarejo? Entenda como funciona

O que é atacarejo? Entenda como funciona

O atacarejo é um modelo inovador de negócio que reúne características do varejo e do atacado em uma única marca ou empresa que tem fluxos de atendimento para os dois formatos. Ele faz parte das mudanças do mercado varejista ocorridas nos últimos anos em virtude das necessidades diferenciadas dos consumidores atuais.

Neste conteúdo, vamos explicar o que é esse modelo e mostrar como ele reúne atributos de duas formas tradicionais de comercialização: o atacado e o varejo. Aqui, você vai descobrir como funciona o atacarejo e entender quais são as suas vantagens, além de obter detalhes sobre custo com locação, redução dos gastos com transporte, fluxo logístico mais prático e barato etc.

Deseja saber se o atacarejo é uma boa opção para lojas de material de construção? Continue lendo e tire suas dúvidas!

O que é atacarejo?

O termo atacarejo surgiu com a junção de duas palavras, o varejo e o atacado, que representam práticas aplicadas no comércio. As duas modalidades são bastante atrativas para os consumidores e os lojistas do segmento de materiais de construção. Por esse motivo, elas foram unidas e deram origem ao novo modelo de negócios.

O atacado realiza a venda de mercadorias em quantidades maiores e por preços menores que podem chegar até a metade dos valores praticados no mercado. Os seus custos logísticos são inferiores por que os produtos são vendidos no mesmo local onde ficam estocados. Normalmente o seu público-alvo é composto por comerciantes e fornecedores.

O varejo, por sua vez, vende os produtos pelos preços praticados no mercado da região. O foco dos comércios varejistas é oferecer mercadorias para os consumidores finais, razão pela qual oferecem uma variedade de opções em seus ambientes físicos com preço calculado com base em uma média que é descoberta analisando a concorrência.

Como surge o atacarejo?

Uma curiosidade interessante é saber a origem do atacarejo. O conceito não é novo, por incrível que pareça. Ele surgiu na Alemanha, criado pelo professor Otto Beisheim, em 1964. Nesse período, ele ajudou na criação da primeira loja Cash and Carry. A partir disso, o modelo foi mudando ao longo dos anos, até chegar ao padrão que encontramos hoje.

Normalmente eles são instalados em locais que têm grandes espaços (como galpões), principalmente, em locais de fácil acesso para os clientes (como grandes avenidas e locais de alto fluxo de pessoas, como centros comerciais), com o objetivo de atrair um maior número de pessoas.

Quando eles surgiram, a ideia do atacarejo era atender um outro público — o comercial, com pequenas e médias empresas. Porém, os valores mais competitivos para compras em maior volume começaram a atrair o público físico. Isso porque, no caso dos mercados, os valores costumam chegar a 30% menor do que os varejistas, o que o torna muito interessante.

E, por isso, eles têm se tornado muito populares. Vemos, por exemplo, que no comparativo do primeiro trimestre entre 2020 e 2021, teremos um aumento de 22,8% nas vendas, enquanto o varejo físico ficou com aumento de 14,5%. Ou seja, uma diferença significativa e que deve continuar em 2022.

Assim, o atacarejo surge com a proposta de ter dois valores: aquele para o atacado (ou seja, quando você faz compras em maior volume) e o para o varejo (quando as compras são feitas em volume menor). Mas vamos entender melhor a seguir como isso acontece.

Como funciona o atacarejo?

O atacarejo funciona disponibilizando mercadorias na modalidade de varejo e atacado no mesmo espaço, com preços mais acessíveis do que os mercados convencionais oferecem e estrutura logística aprimorada. Nessas estruturas, os consumidores podem comprar unidades por um determinado preço e quantidades maiores por um valor mais atrativo.

Por exemplo, um interruptor no atacarejo pode custar R$ 4,99, enquanto a aquisição de 6 unidades custa R$ 27,00, o que representa uma economia de R$ 0,50 a cada item. Dependendo da quantidade do produto comprado, o preço pago por ele poderá diminuir de forma significativa. Esses negócios geralmente incluem autosserviços e pague e leve.

Portanto, os preços podem ser baixos, como nos atacados, mas os serviços são muito parecidos com os do varejo. O volume de vendas é maior para compensar os valores menores, enquanto o ponto de venda e de distribuição estarão no mesmo local. As dificuldades dessa modalidade relacionam-se à reposição imediata das mercadorias e o fornecimento de produtos perecíveis.

Como o atacarejo se expandiu pelo Brasil?

O modelo foi tão bem-aceito no Brasil que ele tem se expandido pelo país com muito sucesso. Um dos cases de sucesso, no caso de mercados, é com o Spani Atacadista. É uma rede que está presente, principalmente, em Minas Gerais e Rio de Janeiro, mas que conseguiu aumentar suas vendas em 70% em poucos anos.

Temos, ainda, outras redes que estão atuando nesse mercado e tendo grande sucesso. Assaí, por exemplo, é uma delas. Após a compra da bandeira Extra (que pertencia ao Grupo Pão de Açúcar), pelo menos 71 lojas da antiga rede adotarão esse novo modelo. Uma aposta ousada e, ao mesmo tempo, com grandes chances de sucesso, pela força dessa estrutura no país.

Quais são as vantagens do atacarejo?

Esses negócios dispõem de uma variedade de produtos com custos baixos porque são compostos por uma estrutura enxuta. A loja é o depósito e as mercadorias são empilhadas em estantes enormes ou corredores. Veja alguns benefícios dessa modalidade!

Menor custo com locação

Os produtos são acomodados e comercializados nos galpões de armazenagem. Dessa forma, os custos com locação reduzem e os preços se tornam mais atrativos para os consumidores que estão em busca de mercadorias mais baratas. Os itens são vendidos em quantidades maiores e o retorno financeiro é interessante para os empreendedores que comercializam materiais de construção.

Redução dos gastos com transporte

A redução dos gastos com transporte é uma consequência lógica desse tipo de empreendimento, já que os produtos são comercializados no lugar onde estão estocados. Não há gastos com a movimentação dos itens que permanecem armazenados até que sejam vendidos diretamente para o público que engloba fornecedores, lojistas e consumidores finais.

Fluxo logístico mais prático e barato

O fluxo logístico é mais barato e prático, tendo em vista que a modalidade diminui etapas relacionadas ao transporte. Em virtude disso, há economia de dinheiro e tempo dos colaboradores envolvidos nas operações de logística. Infelizmente alguns empreendedores enfrentam dificuldades para vender carnes, legumes, verduras e outras mercadorias perecíveis nesse modelo de negócio.

Qual o perfil do consumidor do atacarejo?

Bom, você deve estar pensando agora se vale a pena investir nesse modelo para área de construção, não é mesmo? Um primeiro passo antes de começar a considerar isso é identificar o perfil do consumidor que frequenta esse tipo de estabelecimento. A partir disso, você consegue analisar se vale a pena fazer essa mudança e se esse tipo de público.

Segundo pesquisas da Kantar, algumas das características do perfil do comprador de redes de atacarejo são:

  • quem busque melhor custo-benefício no dia a dia;
  • quem tem menos tempo para ir às compras e, portanto, faz uma compra com maior volume para maior período;
  • quem tem uma renda menor e, portanto, precisa aproveitar promoções e oportunidades;
  • quem tem famílias maiores e, portanto, as compras são sempre em maior quantidade.

Como saber se o atacarejo é uma boa opção?

O atacarejo é uma excelente alternativa para lojas de material de construção, pois a modalidade está se expandindo no Brasil. Os empreendedores que consideram os investimentos, custos e estruturas percebem que há muitos fatores positivos nesse modelo de negócios. Os pontos fracos são praticamente insignificantes, motivo pelo qual vale a pena investir e aproveitar essa tendência.

Volume maior de itens

Os lojistas que estão dispostos a entender um pouco mais sobre a oportunidade, precisam estar atentos às necessidades referentes à gestão de estoque, validade das mercadorias, giro dos produtos e outros aspectos. Eles terão que lidar com um volume maior de itens e precisarão ter cuidado com a precificação para evitar prejuízos e obter rentabilidade.

Inovações tecnológicas

Uma das características mais importantes do atacarejo é a redução dos custos para manter o negócio funcionando. Entretanto, é necessário investir em tecnologia para obter resultados melhores em longo prazo. As aquisições de inovações tecnológicas aumentarão consideravelmente os lucros. Um sistema de gestão para varejo e atacado é crucial para quem almeja obter êxito nos empreendimentos.

Inteligência artificial

Para compreender o comportamento dos consumidores, o empreendedor precisa entender o perfil do seu público-alvo. A Inteligência Artificial (IA) ajuda a falar com os clientes do modo correto e impacta positivamente nas vendas. IA é um conceito aplicado aos sistemas de computação para criar máquinas ou equipamentos inteligentes que aprendem e reagem como colaboradores humanos.

Os sistemas robotizados fazem o reconhecimento da fala e das necessidades dos clientes, desenvolvem um raciocínio para direcioná-los até a solução ideal, solucionam problemas, além de ter capacidade de movimentar e manipular os objetos. Por esse motivo, a IA aumenta a satisfação do público e promove resultados mais satisfatórios para os negócios.

O que é necessário para abrir e montar um atacarejo?

O atacarejo é um modelo que não precisa ficar limitado aos mercados. Você pode criar algo semelhante, por exemplo, para a área de materiais de construção. Isso porque, se analisarmos bem o setor, temos dois perfis de compradores:

  • pessoas físicas, que compram materiais para pequenas obras e reparos;
  • profissionais da área e empresas da área de construção, que compram com maior volume e beneficiam-se de vantagens quando há possibilidade de descontos nessas situações.

A partir do que você viu anteriormente, é possível que esteja mais tentado a abrir um negócio nesse modelo ou mudar sua loja atual para um atacarejo. Mas o que é preciso para isso? Veja a seguir alguns pontos que merecem atenção.

Planejamento prévio

Toda mudança passa, necessariamente, por um planejamento adequado. Isso é fundamental, principalmente, para que a adaptação não impacte consideravelmente o orçamento do negócio. Esse ponto vale tanto se você decidir abrir uma nova unidade ou, ainda, adaptar um local já existente.

A partir disso, você deve pensar em questões importantes, tais como:

  • estrutura local;
  • necessidade de reforçar estoque;
  • localização da loja;
  • treinamento dos funcionários;
  • planejamento de precificação, entre outros.

Maior autonomia para o cliente

Quando for estruturar o seu atacarejo, é fundamental considerar que esse é um modelo que prioriza uma maior autonomia para o cliente. É claro que você terá ainda atendentes que farão todo o processo de suporte em caso de dúvidas, mas toda a loja é orientada para que o cliente possa fazer as compras de forma mais autônoma.

Isso passa por questões como sinalização do espaço, organização do espaço, informações claras, facilidade de condução da pessoa entre a aquisição do item até o caixa, entre outros pontos. E, claro, até mesmo, dar melhor visualização para o local em que os funcionários da loja estão.

Maior espaço

Como falamos, normalmente o atacarejo está localizado em locais com maior espaço (como galpões). Isso faz sentido para mercados, porque temos um alto volume de itens diferentes e que estão dispostos em maior volume no local.

Para materiais de construção, isso também faz sentido. Por exemplo, se o cliente quiser já pegar um maior volume de itens e levar diretamente ao caixa (lembra-se da autonomia, não é mesmo?), os itens precisam estar ali disponíveis para isso. E, portanto, há uma exigência de maior espaço para deixá-los expostos.

Ou, ainda, mesmo que você não deixe os itens expostos (afinal, muitos deles são frágeis, como pisos, porcelanato, entre outros), deverá ter um espaço que permita um galpão maior disponível no local, para já liberar itens de compras de maior volume mais rapidamente.

Melhores condições para compras maiores

E, claro, é preciso ter um planejamento de precificação interessante tanto para o público do varejo quanto para o atacado. Assim, quem vai comprar produtos em menor quantidade devem ter benefícios em comparação com concorrentes, mas, ao mesmo tempo, ser incentivada a fazer compras com maior volume e, consequentemente, aumentar seu ticket médio e chances de vendas agregadas.

Um modelo comum é ter um percentual de desconto a partir da compra de um determinado volume de itens. Por exemplo, ter 20% de desconto no valor quando compra mais de 5 caixas de determinado piso pode ser uma forma de incentivar compras maiores.

Entendeu o que é atacarejo e como funciona? Essa é uma ótima opção para os empreendedores que estão à procura de novos modelos de negócios e de oportunidades para desenvolver os seus talentos. Se você achou interessante essa maneira de comercializar materiais de construção, procure manter-se informado sobre a categoria.

Gostou do conteúdo e deseja obter mais informações valiosas? Então, veja agora mesmo como melhorar a gestão de estoque em lojas de materiais de construção!

No Comments

Post A Comment