Confira 6 principais indicadores operacionais no varejo de material de construção
Menu do Site
Copyright MicroUniverso 2017
Confira 6 principais indicadores operacionais no varejo de material de construção
1784
post-template-default,single,single-post,postid-1784,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,side_menu_slide_from_right,footer_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive
 

Confira 6 principais indicadores operacionais no varejo de material de construção

Confira 6 principais indicadores operacionais no varejo de material de construção

Analisar a atual situação da sua loja de material de construção é fundamental para verificar se as estratégias traçadas para o período vigente, de fato, surtem os efeitos esperados. Afinal, por meio de informações objetivas, é possível avaliar a atual situação e, se caso for preciso, definir as mudanças necessárias para potencializar resultados.

Para isso, o gestor deve conferir indicadores operacionais importantes para o varejo. Eles também auxiliam na tomada de decisões e a encontrar problemas que possam atrapalhar o crescimento da sua empresa.

Neste artigo, vamos mostrar os 7 principais indicadores operacionais que você deve observar em suas análises. Boa leitura!

1. Giro de estoque

Um indicador importante para o varejo é analisar como se dá o giro de estoque da sua organização. Ele mensura o fluxo de entrada e saída de determinados produtos, avaliando quais deles vendem mais, quais tendem a ficar mais estocados, definindo prazos médios de reposição e determinando possíveis medidas que precisam ser realizadas para desencalhar alguns itens.

Por meio desse indicador, é possível que o gestor avalie o tempo médio em que um item fica armazenado no estoque. Por meio disso, ele consegue traçar estratégias importantes para diminuir o tempo de armazenamento, liberando espaço para novos itens, bem como otimizar o processo de entrega para o cliente final por meio do setor logístico. Com isso, seu negócio consegue boas vantagens competitivas.

2. Ticket médio

O ticket médio diz respeito à quantia média que cada consumidor consome em sua loja por compra. Dessa forma, é uma média entre o montante total de faturamento em determinado período dividido pelo número de pessoas que realizam compras no varejo.

Esse é um indicador importante de ser parametrizado. Ele permite estimar o número de clientes necessário para prospectar, em um determinado período, para alcançar o valor total de faturamento desejado.

Aumentar o ticket médio pode ser uma verdadeira missão para os gestores. Algumas dicas importantes são:

  • observe o comportamento do consumidor;
  • faça um cadastro dos clientes;
  • invista em marketing de relacionamento;
  • crie um programa de fidelidade consistente e atrativo;
  • indique produtos e serviços complementares para seu cliente;
  • estimule a retenção e fidelização do cliente, entre outros.

3. Ponto de equilíbrio operacional

O ponto de equilíbrio operacional, também conhecido como break-even point, ou ainda ponto de ruptura, diz respeito ao momento no qual as compras pagam todas as despesas da organização, sem gerar lucros ainda.

Ou seja, diz respeito ao quanto a organização precisa obter, por meio das vendas de produtos, para conseguir zerar as contas e evitar prejuízos, cobrindo todos os custos fixos e variáveis. A partir desse momento, é quando começa a ocorrer o lucro de fato.

Ele é fundamental para que a organização consiga traçar as estratégias necessárias para chegar até esse ponto, principalmente em momentos de crise no setor ou na empresa.

4. Faturamento bruto

O faturamento bruto é um dos grandes indicadores do setor de varejo e que está intimamente ligado com a Teoria das Restrições (TOC, ou Theory of Constraints). Essa teoria afirma que qualquer sistema gerenciável é limitado em alcançar mais que suas metas devido a um número muito pequeno de restrições.

Segundo essa teoria, é preciso avaliar três indicadores importantes para identificar se o varejo vai bem em direção aos seus objetivos de aumentar a rentabilidade. Assim, o primeiro deles é o faturamento bruto.

Ele diz respeito ao valor total obtido nas vendas do varejo em um determinado período, sem considerar quaisquer quantias relacionadas com despesas e custos de operação. Normalmente, é um indicador bastante utilizado para avaliação de performance da loja como um todo.

5. Despesas operacionais

As despesas operacionais dizem respeito a uma variável que merece muito cuidado por parte dos gestores financeiros do setor de varejo. Seguindo ainda a Teoria das Restrições (TOC), esse é um indicador importante para avaliar todos os valores gastos para conseguir transformar o investimento realizado em lucro real, sendo o segundo índice de desempenho a ser considerado no processo.

Entram nesse indicador todos os valores relativos a custos fixos, ou seja, que estão relacionados com o funcionamento da empresa. Participam desse indicador contas como:

  • água;
  • luz;
  • telefone;
  • internet;
  • pagamento de colaboradores;
  • assinatura de softwares;
  • depreciações, entre outras.

O lucro, assim, seria obtido por meio da diferença entre o faturamento bruto e as despesas operacionais, mostrando que não se perde dinheiro na operação de venda.

6. Retorno Sobre o Investimento

O investimento é o terceiro indicador considerado na Teoria das Restrições (TOC), considerando o valor investido pelos acionistas e sócios para que fossem identificados os resultados encontrados na análise geral.

Isso porque, por exemplo, uma empresa pode ter um lucro de R$100 mil em um determinado período, mas para que alcançasse esse patamar, foi necessário que os acionistas presentes investissem 1 milhão. Por isso, é fundamental avaliar a métrica Retorno Sobre o Investimento (conhecida, também, como ROI).

A partir disso, é possível avaliar a taxa de retorno anual e verificar se os investimentos realizados valeram a pena ou se foram um desperdício que deverá ser considerado posteriormente, ao definir novas estratégias para o próximo período.

Além disso, deve ser considerado se os investimentos são retornos de longo prazo, ou seja, que surtirão efeitos apenas em um próximo ano e, por isso, não tenham ainda aparecido nos indicadores presentes do seu varejo.

Avaliar os principais indicadores operacionais em lojas de material de construção é fundamental para verificar a atual situação e como é possível potencializar os resultados com uma melhor gestão de processos.

Para isso, é fundamental contar com o apoio da tecnologia. Então, agora, saiba como um software ERP pode ser um importante aliado do seu negócio.